quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Exposição de Trabalhos das Oficinas de Robótica - + EDUCAÇÃO


Considerações de Philippe Perrenoud, no livro Pedagogia Diferenciada sobre construção de conceitos e aprendizagem:
    "As crianças e os adolescentes só aprendem se colocados em situações de aprendizagem que os tornem ativos e os levem a escutar, ler, observar, comparar, classificar, analisar, argumentar, tentar compreender, prever, organizar, dominar a realidade, simbolicamente e na prática. Essas situações devem ser criadas, organizadas, porque têm poucas chances de serem produzidas espontaneamente de modo bastante denso e judicioso para suscitar, em tempo útil, as aprendizagens almejadas." (Perrenoud, Philippe. POA, ARTMED, 2000, p. 107)

Na última semana das atividades letivas do Programa + Educação, os alunos com a colaboração dos oficineiros de robótica, grafite e atletismo participaram da organização de uma exposição de trabalhos construídos ao longo do ano para os demais alunos da escola, demonstrando compreensão dos conceitos trabalhados nas diferentes produções realizadas.


Os alunos demonstraram compreensão dos conceitos trabalhados em robótica ao sugerir ao oficineiro de grafite a encenação de uma representação de cena do filme Transformers, na qual faz parte o Autobots Bumblebee para apresentação de encontro cultural do programa.  Na imagem,  alunos mostram a confecção das rodas do carro em papelão.
 

Um grupo organizando as montagens para a exposição.


Na sequência, imagem da construção de maquete de releitura do robô de solda da Empresa SUMIG, de tecnologia japonesa, confeccionada por sugestão dos alunos dos anos iniciais, após visita realizada.
Para representar o momento de solda  do botijão foi usado cordão de lâmpadas natalinas.


 Os alunos que visitaram a exposição ficaram encantados ao saber que os colegas dos anos finais construíram o TINROBOT ME001  com latinhas e puderam visualizar seus movimentos.



A turma da manhã iniciando a construção da  maquete com sucatas.


Em exposição, a montagem do Bumblebee, construída pela turma da tarde, orientada pelo oficineiro Andrigo.





Brinquedo construído por um grupo de alunos diferente do kit original.


A turminha dos seis anos quis fazer "um trabalhinho grande de robótica", conforme fala de uma aluna. Colou tampinhas sobre um traçado feito por  aluno dos anos iniciais e grafitou.
 Não foi fácil pintar as partes do "Camaro Amarelo" para a apresentação!!!


Uma aluna expondo o figurino de robozinha usado em encenação, com direito a  lanternas nos pulsos, pintura metalizada e "chave" para controle nas costas.


  Alguns alunos dos anos finais restauraram um armário com ajuda do oficineiro de grafite e outros dos anos iniciais organizaram as montagens de miniaturas de  modelos robóticos em posição de luta, imitando cena do filme Gigantes de Aço, no qual robôs são construídos para lutar substituindo "os violentos lutadores humanos", segundo temática do filme em questão.



Trabalhos  artísticos de registro escrito dos conceitos trabalhados,  pelos alunos dos anos iniciais.





Nas imagens seguintes, outras criações dos alunos.



  










Alunos da turma dos seis anos foram questionados pela professora sobre  o conceito de robótica e  uma aluna conceituou com a seguinte fala:


O uso de sucatas nas oficinas de robótica educacional contribuiu para estimular a criatividade, além de permitir uma maior diversidade nos planejamentos das atividades e favorecer ao  desenvolvimento de habilidades constitutivas da aprendizagem e ao trabalho de construção dos conceitos  relacionados ao tema de maneira lúdica, pois os kits do laboratório de educação tecnológica só  podem ser explorados a partir do momento no qual os alunos já possuem algumas noções básicas de eletricidade, programação, trabalho em grupo, organização com o material e seleção das peças de acordo com os projetos apresentados. E, estes aspectos necessitam de um período de adaptação e/ou construção. É pertinente destacar que no mercado há kits para robótica educacional  adaptados às diferentes faixas etárias, respeitando as fases do desenvolvimento dos alunos, porém não estão de acordo com a disponibilidade financeira do programa em questão, o qual apresenta recursos limitados para cada oficina e isto requer o uso de criatividade nos planejamentos com aproveitamento de materiais diversos  a fim de viabilizar o trabalho a ser sistematizado no período de execução das oficinas.