segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Robótica Educacional - Abordagem Interdisciplinar

 A maioria  das pessoas quando ouve falar em robótica lembra dos filmes de Hollywood, nos quais robôs imitam seres humanos com perfeição e desconhecem que é possível encontrá-los de diferentes formas, sendo utilizados em áreas profissionais diversas, simulando ou realizando as mais variadas atividades humanas. Dentre outras possibilidades, na indústria, permitem o aprimoramento dos serviços com um custo  de produção menor e com maior qualidade. Na medicina, no caso dos robôs cirúrgicos, podem ser usados em intervenções nas quais  exigem um altíssimo grau de precisão, diminuindo assim os riscos de erros. Na engenharia civil, podem permitir maior agilidade na busca de soluções de problemas de construção ou técnicos, por exemplo, realizando serviços em lugares onde há riscos para o homem. E, na educação, inicialmente, a robótica também poderá auxiliar a tarefa do professor no desenvolvimento da aprendizagem,  favorecendo a aproximação das teorias pedagógicas, as quais defendem um ambiente de aprendizagem lúdico e interativo com a prática pedagógica diária, diminuindo distâncias entre o concreto e o abstrato, entre alunos e professores, os quais buscam juntos novas estratégias de criação e de solução de problemas, como a falta de materiais específicos para as construções desejadas, a impossibilidade de concretizar algumas ideias ou a simples convivência num contexto humano  de atitudes e valores diversificados presentes no ambiente de sala de aula. A construção de protótipos não deve ser o objeto principal da robótica educacional, e, sim, as habilidades e competências desenvolvidas ou utilizadas para tal. O caminho a ser percorrido para a construção do projeto  de robótica educacional deve ser mais valorativo do que o produto final, pois a construção de autômatos ou protótipos  deve ser estimulada na educação, porém constitui-se em objeto  da engenharia industrial ou de cursos técnicos profissionalizantes na área da automação e, não, do ensino fundamental., o que não inviabiliza possíveis criações, visto que existem muitas experiências de construções de protótipos em várias escolas públicas e privadas, inclusive com alunos representando o país em feiras e exposições internacionais. Além do inegável estímulo à criatividade e ao trabalho em equipe, a robótica educacional permite aos professores uma abordagem interdisciplinar de habilidades e conceitos afins a serem explorados nas diversas áreas do conhecimento, oportunizando atividades que podem sugerir leitura, escrita, pesquisa, cálculos, medidas, desenhos, produção de slides, conhecimentos dos processos históricos de desenvolvimento econômico e tecnológico, descobertas científicas, danças com movimentos robotizados, produções de vídeos e produções artísticas, dentre outras possibilidades dependendo da criatividade de cada professor. 

Nesta imagem, produção de slides no Laboratório de Informática Educativa, com pesquisa de imagens.


Trabalhando com sucatas - construção de uma representação do conceito de tecnologia.

Uma aluna fixando com arame as partes de uma produção coletiva, a qual foi denominada pelos alunos como AMARAL ROBOTIC (robô natalino). 

 
Montagem de uma pista de corrida para dois carros com controle e tamanho de 8m, respeitando projeto do manual de instruções. Depois, foi só se organizar para começar a brincadeira. Haja tempo!!!!
Nesta imagem, alunos  no LIE, brincaram de engenheiro com programa da BRINK MOBIL.



Produção dos alunos com peças de sacolão criativo.


Nas imagens seguintes, alunos identificando as peças a serem  trabalhadas e estudando manual de orientação em grupo, construindo protótipo de um limpador de para-brisa.